Produção do leite materno
Amamentação

Amamentar é um ato de amor. E não é só um sentimento. Há uma explicação biológica: a ocitocina.

O alimento mais completo do mundo, o leite materno, traz vantagens para a mãe e para o bebê, reforçando o vínculo materno. Mas como será produzido o leite materno? Neste artigo, mostramos como é este processo, passo a passo, desde que a mulher engravida até a primeira sucção do bebê.

Para compreender melhor como o leite materno é produzido, é importante sabermos como a mama é constituída.  Na mama, poderemos encontrar os alvéolos que são como pequenos sacos feitos de células e que são responsáveis por libertar o leite.

O leite armazenado nos alvéolos é expulso pela contração das células musculares que se encontram em torno dos alvéolos. São os ductos, uma espécie de pequenos tubos, que levam o leite materno armazenado nos alvéolos para o mamilo.

Mas como o leite é produzido? A produção do leite materno é resultado de impulsos sensoriais transmitidos do mamilo para o cérebro. E como isso acontece? Tudo começa com a sucção do bebé na mama. Em resposta a este estímulo, dá-se a produção de uma hormona conhecida como prolactina que é responsável pela produção de leite nos alvéolos.

Para que o leite flua até ao mamilo, através dos ductos, o organismo da mulher, produz uma substância chamada de ocitocina, que promove a contração das células musculares em torno dos alvéolos. Esta contração permite a condução do leite até aos mamilos para ser ingerido pelo bebê.

O leite será produzido estimulado pela amamentação. Por isso, poderemos afirmar que o aumento da prolactina está diretamente relacionado ao mamar do bebê. E também explica-se o fato de uma da mamas deixar de produzir leite se o bebé tiver preferência pela outra.

Por isso, é importante que o bebê mame, de forma equilibrada, nas duas mamas. Mas as transformações começam, bem antes do nascimento do bebé. Um dos primeiros sinais de gravidez poderá ser visto nos seios da futura mãe que tornam-se mais sensíveis, inchados e aréolas aumentam de tamanho e mudam de tonalidade: tornam-se mais escuros.  

Este é um “pequeno truque” da natureza para orientar, melhor o bebê para encontrar a mama da mãe.  

Produção do leite maternoMas não é só isso. Para além da mudança de tamanho e cor, aparecem umas bolinhas pequenas em torno da aréola do seio, que são responsáveis pela produção de uma substância de textura oleosa com as propriedades de proteger, durante o processo de amamentação, o seio de eventuais infecções.

Algumas curiosidades sobre a produção do leite materno: uma mulher, cujo bebê seja prematuro, poderá amamentá-lo. E sabe por que? A explicação é simples: já no sexto mês de gestação, o sistema de distribuição do leite já está finalizado.

Sendo que, a produção aumenta consideravelmente, cerca de 48 horas após o nascimento do bebê. Mas haverá fatores que aumentam a produção do leite materno? Amamentar é o primeiro fator. E isso é facilmente explicável: quanto mais o bebê mamar, mais o organismo da mãe será estimulado a fabricar o leite para a amamentação.

O estresse e ansiedade são fatores que poderão desestimular a produção do leite materno. Por isso, é recomendável que durante o processo de amamentação, a mãe sinta-se relaxada e encontre um lugar sossegado, arejado e com luz natural.

É importante que, durante o período de amamentação, a hidratação seja levada muito a sério. E sabe por que? A produção do leite materno depende da quantidade de água ingerida. Por outras palavras, poderemos afirmar que é a principal matéria do leite materno.

Por isso, a recomendação médica é da ingestão de 2 a 3 litros de água por dia, evitando bebidas com elevada concentração de cafeína como café e chás. Para equilibrar, use sucos de frutas naturais, mas sem adição de açúcar. E por fim, use roupas leves e evite os sutiãs muito apertados.

Artigos Relacionados

Como identificar sinais de fome do bebê

Mommy´s Angel

Tipos de mamilos e amamentação

Mommy´s Angel

Lista VIP WhatsApp sobre Amamentação

Mommy´s Angel

Deixe um Comentário