Coronavírus: mães devem parar de amamentar nestes casos?

Coronavírus: mães devem parar de amamentar nestes casos?
Amamentação Dicas

Se você está com um recém-nascido em casa e testou positivo para o coronavírus ou se estiver em fase de amamentação, preocupada com a infecção, pode estar se sentindo confusa com as orientações conflitantes sobre a melhor maneira de fornecer leite materno ao seu bebê.

Deve ser mamadeira? Ou deveria ser diretamente do peito? Uma mãe deve ser separada de seu bebê? E se sim, por quanto tempo?

Atualmente, o conselho difere dependendo da organização que você consultar. Claramente, os especialistas em saúde ainda não chegaram a um consenso. Aqui estão algumas das orientações mais recentes sobre amamentação na era dos coronavírus, mas lembre-se de que as diretrizes podem mudar rapidamente à medida que continuamos a aprender mais sobre o Covid-19.

Se eu testar positivo para o vírus, devo ficar no mesmo quarto que meu recém-nascido e amamentar?

Em última análise, a escolha é da mãe. Especialistas em saúde aconselham as mulheres a falar com o ginecologista e o pediatra do bebê com bastante antecedência para entender melhor as diferentes opções e aprender o que sabemos até agora sobre o coronavírus.

A OMS diz claramente que as mães infectadas podem ficar no mesmo quarto e amamentar com as devidas precauções de higiene, como usar uma máscara enquanto o bebê está alimentando e lavando as mãos antes e depois de tocá-lo.

Se uma mãe está doente demais para cuidar de seu recém-nascido, ela deve receber apoio para fornecer leite materno de outra maneira, acrescenta a OMS.

Já especialistas americanos, aconselham as mães infectadas a se separarem, temporariamente dos recém-nascidos e ‘bombear’ ou tirar, manualmente, o leite materno.

Estudos mostraram que o contato pele a pele com o recém-nascido pode promover a ligação mãe-bebê e aumentar a quantidade e a duração da amamentação.

Mas para mães com o coronavírus, esses benefícios precisam ser comparados com o risco potencial de infectar um recém-nascido.

Se eu estiver temporariamente separado do meu bebê, isso tornará mais difícil amamentar mais tarde?

Estar temporariamente separado do recém-nascido não deve ser empecilho para voltar a amamentar quando a mãe se recuperar, mas é importante receber o apoio da família e de especialistas (pediatra, consultora materna) para produzir o leite necessário ao bebê.

Na primeira hora após o parto, mesmo que seja um parto cirúrgico, use as mãos para massagear os seios, apertando suavemente o dedo indicador e o polegar de maneira rítmica para desencadear a ejeção do leite.
Quando o leite é retirado logo no início, é muito mais fácil mantê-lo fluindo e produzindo a quantidade que o bebê precisa, mesmo se você estiver separada do bebê por uma semana ou duas.

Mais tarde, quando você não estiver mais infectada, segure seu bebê pele a pele e use as mãos para tirar um pouco de leite.

O coronavírus pode ser transmitido a uma criança através do leite materno?

Até o momento, o vírus não foi detectado no leite materno, mas não sabemos ao certo se o vírus pode ser transmitido dessa maneira.

Pesquisadores, estão coletando amostras de leite de mães infectadas e criando um teste especial para determinar quanto do vírus – se houver – está presente no leite materno.

Se você estiver bombeando seu leite em vez de amamentar, lave as mãos antes de tocar em qualquer parte da bomba ou da mamadeira e limpe bem as peças da bomba, seguindo as recomendações da OMS para uma limpeza adequada.

Como recebo ajuda com a amamentação quando todos praticam o distanciamento social?

Obter ajuda para a lactação em casa durante a pandemia de coronavírus é um desafio, uma vez que todos devem manter pelo menos um metro e meio de distância um do outro.

Agora, mais do que nunca, não se deve descartar os cuidados de higienização e manipulação (mamas, a boca do bebê na mama, bombas de leite, etc) recomendadas pelo OMS.

O leite materno pode proteger os bebês do Covid-19?

Com base no que sabemos sobre outros vírus, como o resfriado comum, há todas as razões para acreditar que os pesquisadores encontrarão anticorpos contra o Covid-19, no leite materno de mulheres que foram infectadas pelo coronavírus.

Se uma mãe está infectada, a esperança é que ela esteja produzindo anticorpos contra o Covid-19 que estão presentes no leite materno, o que pode ser um tremendo benefício para a criança.

Independentemente de como o leite materno é entregue, os especialistas em saúde concordam que é importante dar ao recém-nascido o máximo de leite possível, pois ele possui nutrientes essenciais para a garantir a boa imunidade da criança.

Se não puder amamentar exclusivamente, converse com pediatra ou consultora materna para que eles lhe dêem a assistência necessária nessa fase tão importante e, assim, não necessite de fórmula suplementar. Com o leite materno, seu bebê receberá importantes benefícios imunológicos e nutricionais.

Dito isto, toda mulher deve tomar a decisão que é melhor para ela e sua família. Se a amamentação não estiver indo bem ou você tiver outras preocupações em continuar amamentando, é importante procurar um especialista no assunto para conversar e, juntos, encontrarem a melhor alternativa para dar continuidade à lactação.

Mommy’s, nós estamos aqui para te ajudar! Não hesite em buscar ajuda nesse momento tão delicado. Procure uma consultora materna para baterem um papo online, tire todas as suas dúvidas e recupere o ato de amamentar, tão importante para a saúde do seu bebê.

Artigos Relacionados

A “pega correta” é a chave para a amamentação de sucesso

Mommy´s Angel

Dicas inteligentes para pais de recém-nascido

Mommy´s Angel

Higiene do sono do bebê

Mommy´s Angel

Deixe um Comentário