O ato de brincar na ainda não é visto como algo fundamental ao desenvolvimento infantil, sendo considerado apenas mais uma forma de se divertir e passar o tempo.
Somente 19% dos brasileiros acreditam que brincar e passear são atividades importantes para a criança de até 3 anos e, para 26%, é o pai quem deve assumir as brincadeiras de contato com a criança, como pega-pega e cavalinho.
O momento da brincadeira é uma oportunidade de desenvolvimento para a criança. Através do brincar ela aprende, experimenta o mundo, possibilidades, relações sociais, elabora sua autonomia de ação, organiza emoções.
O brincar desenvolve também a aprendizagem da linguagem e a habilidade motora.

Pegue um lápis e mostre para uma criança de dois anos e diga que é um foguetinho, faça barulhos e movimentos mimetizando um voo espacial e você verá olhinhos fixos e crédulos do pequeno. O lápis que você pegou acaba de transformar-se no mais novo foguete da Nasa e juntos vocês podem visitar todos os planetas.

A capacidade de imaginar nos diferencia. Mais do que isso: na primeira infância impulsiona o desenvolvimento e faz desenvolver o conhecimento e que sem dúvida é tão fundamental para o desenvolvimento humano.
A capacidade de imaginar também, em todos os campos, em todas as áreas. Nas artes, principalmente. Dá pra pensar um mundo sem música?
E essa capacidade de imaginação começa, claro, na infância, nos primeiros anos de vida, com o brincar! Brincar estimular o pensamento criativo e a imaginação sem limites.
Estímulos promovem a conexões cerebrais e prepara um campo fértil para render muitos frutos depois.
Conforme as crianças vão crescendo, adquirem a capacidade de brincar mais ativamente com os brinquedos, interagem mais e criam situações aleatórias. Por isso é tão importante deixar que as crianças brinquem e que também estimulemos brincadeiras com outras crianças e com adultos também.
Isso é fantástico!

Então Papais e mamães dê preferência aos brinquedos que estimulem o pensamento e aquisição de novas habilidades e de acordo com a idade de seu filho.
Cante, dance, brinque com seus filhos, mas lembre-se: brincar sozinho também é dar liberdade de pensamento, de construírem seu mundo, sua história, seus caminhos.

 

 

Muitas vezes os pais não permitem que o filho passe por todas as etapas do seu desenvolvimento, e eles fazem isso quando impedem as brincadeiras, exigem organização, por acharem que estão contribuindo para a maturidade da criança, quanto à aquisição de alguns comportamentos, como por exemplo, o de limpeza. A imposição de tarefas exaustivas, as incompatibilidades de horários da família são outros fatores que podem impedir as brincadeiras livres.

Um beijo carinhoso
Cíntia Matiéli
Consultora Internacional do Sono Materno Infantil
Ceo e Fundadora da Mommys Angel C.M.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *