Estou estressada e meu leite secou! E agora?

O que pode provocar ressecamento do leite?

Alguns dos principais motivos para a baixa produção de leite são, sem dúvida, estresse, cansaço, ansiedade, depressão pós-parto e dores relacionadas à amamentação, como a mama endurecida ou bicos rachados.

A pega incorreta é uma das principais causas que podem fazer o leite secar. Ou seja, a forma como o bebê pega o peito para mamar e o número de vezes que ele mama por dia também influenciam na quantidade. O aleitamento de sucesso deve seguir algumas técnicas indicadas por uma consultora em amamentação, pois quanto mais correta for e mais vezes a mãe conseguir amamentar, o organismo acaba entendendo que precisa produzir mais leite.

Ainda sobre a questão da pega incorreta, se a criança usa o peito como chupeta, sem puxar o leite como deveria, a produção fica comprometida. “A sucção correta do bebê é o que mais estimula a produção de leite”, afirma Cíntia Matieli, consultora em amamentação.

“Quando a criança fica só chupetando, ou seja, não suga o leite da mama corretamente, o organismo da mãe entende que não precisa produzir mais pois não há demanda, dessa forma, a quantidade de leite começa a diminuir até secar”, explica.

Outros motivos comuns que podem afetar a produção de leite materno

Além da pega incorreta, um erro comum é incluir outros alimentos como complemento à amamentação. “Num ato de desespero, provado pela fome e choro da criança ou até mesmo dores na mama, a mãe começa a substituir o leite por outros alimentos, dessa forma, a criança vai sugar cada vez menos o peito, os estímulos vão diminuir e o leite vai secar”, alerta Matieli.

A prótese de silicone não tem muita influência sobre a produção e a qualidade do leite materno pois ela é aplicada por baixo da musculatura, não impedindo a passagem do leite. Mas a cirurgia de redução de mama pode influenciar, quando há remoção de tecido com glândulas e dutos mamários, por exemplo.

Estresse e amamentação não combinam, por isso, muita calma nessa hora!

Uma situação de estresse pode fazer com que a mamãe produza menos leite ou mesmo que o reflexo de descida do leite seja inibido. Fique atenta, pois os hormônios do estresse são capazes de inibir a ação da prolactina que é a produção do leite e da ocitocina, no caso, a descida do leite. É importante lembrar que problemas com a rotina da casa, o trabalho ou uma depressão pós-parto também são fatores que podem inibir a produção e sua descida.

A sucção libera a descida do leite, mas se o bebê estiver chorando muito ou se a mãe estiver extremamente cansada porque não dormiu direito à noite, a situação poderá se tornar algo rotineiro até acontecer o desmame. “Fique atenta mamãe, respire fundo, se acalme e pense que esta é apenas uma fase e a grande oportunidade para fazer com que seu ato de amentar seja um sucesso!”, alerta Matieli.

“A mãe deve amamentar com tranquilidade para que o leite desça e o bebê abocanhe adequadamente o mamilo, assim todos os hormônios do organismo da mamãe funcionarão da maneira mais sincronizada possível”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *