É possível oferecer alimentos ao bebê e continuar amamentando?

Após os seis meses, o Ministério da Saúde recomenda que o leite materno continue sendo oferecido em parceria com a alimentação complementar. Isso pode se estender até os 2 anos de idade ou mais.

A consultora materno-infantil, Cíntia Matieli, ressalta ainda que a introdução de novos alimentos provoca a diminuição gradual no número de mamadas ao longo do dia. Assim, naturalmente, acontece o desmame.

A partir do sexto mês, o paladar da criança começa a ser formado e inicia-se a introdução alimentar de forma gradual, mas a amamentação não deve ser descartada enquanto houver interesse da criança.

Segundo Cíntia, o leite materno continua trazendo benefícios imunológicos e nutricionais ao bebê, mesmo após os seis meses. Além disso, fortalece o vínculo entre mãe e filho. “Mesmo após a introdução alimentar, é importante amamentar para diminuir riscos de infecções e doenças como obesidade, hipertensão e diabetes”, diz.

Uma dica é ordenhar sempre que o volume de leite for superior à demanda do bebê. Assim, é possível oferecer ao bebê em períodos em que a mãe estiver ausente, ao mesmo tempo que o procedimento ajuda a não interromper a produção láctea.

Se a mãe trabalha fora, pode guardar o leite coletado em uma geladeira. Mas lembre-se, o leite deve ser armazenado por até 12 horas na geladeira e congelado por até 15 dias. Ao oferecer à criança, deve ser descongelado e aquecido em banho-maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *