WhatsApp Image 2018-08-10 At 11.51.43Enfim o tão esperado bebê chega e você quer se envolver bastante na criação dele.
O problema é que nas primeiras semanas, quando o bebê praticamente só mama e dorme, às vezes fica difícil saber por onde começar.

Aguente firme! Com o tempo, você e seu filho vão desenvolver uma relação muito especial e única.
Enquanto isso, nós da Mommy’s Angel separamos algumas pitadas sobre o que fazer para evitar aquela terrível sensação de “ameba” ou de não ter importância dentro da própria família. Vamos lá:

  • Informe-se: Já reparou que sua mulher vive lendo sobre bebês? Não faça cerimônia, comece a ler você também.Outro bom jeito de aprender é sair com amigos e parentes que já tenham filhos, para ver como lidam com eles. Acredite: esse negócio de bebê não é nenhuma física quântica, mas requer investimento pessoal e dedicação.
  • Pratique:Ao contrário do que muita gente gosta de dar a entender, não existe nenhuma intuição especial que diga para as mulheres o que fazer com um recém-nascido — elas simplesmente aprendem na prática, do mesmo modo que os homens.Assim sendo, ponha a mão na massa, troque fraldas (de xixi e de cocô também!), dê banhos no bebê e faça o seu melhor para ajudar a confortá-lo quando ele estiver incomodado. Vai ser um pouco desajeitado no início, porém tenha certeza de que você pega o jeito.
  • Disponibilize seu tempo: Participar da vida do bebê não vai ser fácil se você nunca estiver por perto. Por isso, procure passar bastante tempo com ele quando volta do trabalho à noite e nos fins de semana.Coloque seu filho no carrinho ou num carregador e vá dar uma volta pelo bairro, ou simplesmente ponha-o no colo e conte uma história (não, não é cedo demais) ou cante uma música (não, não precisa ser musiquinha infantil).
  • Assuma a responsabilidade: Muitas mulheres acham que não estarão sendo boas mães se não forem as únicas a alimentar, trocar, vestir e confortar o bebê 24 horas por dia.Mas é essencial para a sua formação de pai — assim como para o bebê e para a própria sanidade mental da sua companheira — que você assuma responsabilidades. Conquiste seu espaço, mesmo que sob protestos. Você não vai se arrepender.
  • Aguente firme: Às vezes nem é de propósito, mas as mães costumam minimizar as chances de sucesso dos pais ao interferir quando eles estão tendo certa dificuldade de fechar a fralda — ou fazem cara feia pela forma como dão o banho.
  • Seja parceiro na hora das mamadas: Caso sua mulher esteja amamentando, traga o bebê para ela na hora das mamadas, e se ofereça para fazer o bebê arrotar, ou ofereça um copo de água pra sua companheira.Uma vez que o aleitamento materno esteja bem estabelecido, procure alimentar o bebê de vez em quando com leite tirado do seio. Você e o bebê terão assim momentos especiais juntos, e sua exausta mulher ficará grata por poder dormir um pouco mais.
  • Aposte no contato físico: Os pais interagem com os filhos de maneiras diferentes que as mães, e isso é perfeitamente normal. O modo de brincar mais físico dos homens é um excelente complemento ao jeito mais delicado das mães.Não tenha medo de brincar de “aviãozinho”, “cavalinho” ou qualquer outra coisa que dê vontade (tomando, obviamente, os cuidados com o ainda frágil corpo do bebê). No entanto, esse tipo de brincadeira não é a única disponível aos papais: fazer carinhos também é ótimo!

Você vai logo perceber que não existe fórmula mágica do amor: convivência, cuidados e carinho no dia a dia vão aos poucos construindo o relacionamento entre vocês. Envolva-se à sua maneira.

Seja principal, não coadjuvante: Apesar de ainda persistir na cabeça de algumas pessoas o velho conceito de que pai é auxiliar e não participante ativo da criação dos filhos, saiba que esse modelo está ultrapassado por um bom motivo. Ele simplesmente não funciona. Os homens agora têm cada vez mais responsabilidade compartilhada nos afazeres domésticos e na educação dos filhos. Pode dar mais trabalho, mas também acaba desenvolvendo relacionamentos mais fortes com as crianças.
Esteja disponível: Para ser um pai presente, envolva-se nas decisões que afetam os seus filhos. Se você deixar tudo nas mãos da mamãe, perderá os pequenos momentos que dão significado à vida da criança.
Sem participar das tarefas, rotinas e atividades que constroem a infância, você não conhecerá seu filho com o grau de intimidade e as nuances que são fundamentais para se tornar um paizão.
Demonstre respeito pela parceira: Ser um pai presente tem a ver com o reconhecimento de que sua mulher é também um alicerce da família. Respeite e apoie as decisões dela na sua ausência.

 

-pitadas adaptadas do livro Throwaway Dads, de Ross D. Parke e Armin A. Brott
-foto: Pai da Mariah e esposo da Julia do blog Os Voos da Xoana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *